Informativo Amai-vos #116

Agenda de Junho/Julho de 2022

26/jun – DOM: 9h Qualidade de Vida / 19h Culto Rede de Jovens / Cantina reservada para a Rede de Mulheres
27/jun – SEG: 19h45 Aula de canto
28/jun – TER:
29/jun – QUA: 20h Culto de quarta-feira
30/jun – QUI: 19h45 Ensaio Ministério de Louvor
01/jul –  SEX:
02/jul –  SÁB: Ornamentação das salas do Departamento Infantil com almoço para professores e auxiliares
03/jul – DOM: 9h Qualidade de Vida / 19h Culto Rede Homens
04/jul – SEG: 19h45 Aula de canto
05/jul – TER:
06/jul – QUA: 20h Culto de quarta-feira
07/jul – QUI: 19h45 Ensaio Ministério de Louvor 
08/jul – SEX: 
09/jul – SÁB: 20h Culto Go
10/jul – DOM: 9h Qualidade de Vida / 11h Almoço promovido pelos jovens / 19h Culto Rede Mulheres
11/jul – SEG: 19h45 Aula de canto
12/jul – TER: 
13/jul – QUA: 20h Culto de quarta-feira
14/jul – QUI: 19h45 Ensaio Ministério de Louvor 
15/jul – SEX:  
16/jul – SÁB:
17/jul – DOM: 19h Culto Missões
18/jul – SEG: 19h45 Aula de canto
19/jul – TER: 
20/jul – QUA: 20h Culto de quarta-feira 
21/jul – QUI: 19h45 Ensaio Ministério de Louvor 
22/jul – SEX: 
23/jul – SÁB: 9h Aula Psicanálise
24/jul – DOM: 19h Culto Rede de Jovens
25/jul – SEG: 19h45 Aula de canto
26/jul – TER: 
27/jul – QUA: 20h Culto de quarta-feira 
28/jul – QUI: TEMPLO FECHADO PARA DEDETIZAÇÃO (DIA INTEIRO)
29/jul – SEX: TEMPLO FECHADO PARA DEDETIZAÇÃO (DIA INTEIRO)
30/jul – SÁB: TEMPLO FECHADO PARA DEDETIZAÇÃO (DIA INTEIRO)
31/jul – DOM: TEMPLO FECHADO PARA DEDETIZAÇÃO (ATÉ AS 18H – Não haverá Qualidade de Vida) / 19h Culto de Louvor

Para ver a agenda completa do semestre clique aqui.

line

Alimento 1×3

O pecado e suas consequências

A justificação pela fé em Jesus Cristo

Rm.3.21 ao 25Mas, agora, se manifestou, sem a lei, a justiça de Deus, tendo o testemunho da Lei e dos Profetas, isto é, a justiça de Deus pela fé em Jesus Cristo para todos e sobre todos os que creem; porque não há diferença. Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus, sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus, ao qual Deus propôs para propiciação pela fé no seu sangue, para demonstrar a sua justiça pela remissão dos pecados dantes cometidos, sob a paciência de Deus.

Finalmente, a morte, como resultado do pecado, importa em morte eterna. A vida
eterna viria pela obediência de Adão e Eva (Gn 3.22); ao invés disso, a lei da morte
eterna entrou em operação. Essa morte é a eterna condenação e separação de Deus,
como resultado da desobediência do homem para com Deus.

A única maneira do ser humano escapar da morte em todos os seus aspectos, é
através de Jesus Cristo, que “aboliu a morte e trouxe à luz a vida e a santidade”
(2Tm 1.10).

Ele, mediante a sua morte, reconciliou-nos com Deus, e assim, desfez a
separação e alienação espirituais resultantes do pecado (Gen. 3.24; 1Co 5.18).
Pela sua ressurreição, Ele venceu e aboliu o poder de Satanás, do pecado e da
morte física (Gn 3.15; Rm 6.10; Rm 5.18,19).

A MORTE FÍSICA DO CRENTE

Embora o crente em Cristo tenha a certeza da vida ressurreta, não deixará de experimentar a morte física. O crente, porém, encara a morte de modo diferente do incrédulo. Seguem-se algumas das verdades reveladas na Bíblia a respeito da morte do crente:A morte, para os salvos, não é o fim da vida, mas um novo começo. Neste caso, ela não é um terror (1Co 15.55-57), mas um meio de transição para uma vida mais plena.

Para o salvo, morrer é ser liberto das aflições deste mundo (2Co 4.17) e do corpo
terreno, para ser revestido da vida e glória celestiais (2Co 5.1-5). Paulo se refere à
morte como estar adormecido (1Co 15.6,18,20; 1Ts 4.13-15), o que dá a entender que morrer é descansar do labor e das lutas terrenas (Ap 14.13).

Perguntas:

  1. Você sente a Salvação?
  2. Você tem medo da morte?
  3. Você deseja e espera a volta de Jesus?
line

A igreja em fuga

No Dia Mundial do Refugiado, conheça as principais causas do deslocamento de cristãos por regiões

Mulheres refugiadas em encontro de vítimas da violência do Boko HaramMulheres refugiadas em encontro de vítimas da violência do Boko Haram

Como você pôde conferir na notícia sobre o que leva os cristãos a fugirem, em casos onde a perseguição religiosa é determinante para a fuga dos cristãos, existem quatro principais agentes que resultam no deslocamento. Confira quais os principais países que geram o deslocamento de cristãos, os agentes responsáveis por isso e por que isso ocorre.

África Subsaariana

Portas Abertas entrega ajuda emergencial no Norte de Camarões a refugiados que foram deslocados devido à violência do Boko Haram

Principais países: CamarõesRepública Democrática do CongoEritreia e Nigéria

Top 3 agentes do deslocamento

  1. Grupos religiosos violentos (13 de 22 países monitorados pela Portas Abertas)
  2. Pressão familiar (9 de 22 países monitorados pela Portas Abertas)
  3. Pressão do Estado (7 de 22 países monitorados pela Portas Abertas)

A Nigéria produz os números mais altos de deslocados internos e refugiados na região, enfrentando níveis extremamente altos de violência. Diversos grupos extremistas fazem dos cristãos seu alvo, resultando em milhares de deslocados internos e refugiados em países vizinhos nos últimos anos.

Grupos religiosos violentos, principalmente extremistas islâmicos, criam um ambiente altamente inseguro e perigoso para os cristãos. Entre os grupos estão Al-Shabaab, Boko HaramEstado Islâmico da Província da África Ocidental (ISWAP) e outros jihadistas locais.

Nigéria, MaliNíger e Burkina Faso são uma prova do poder e alcance de grupos terroristas islâmicos. Os cristãos são alvo não apenas de ataques físicos e sexuais, mas também têm suas propriedades, rebanhos e terras visados pelos grupos religiosos violentos. Isso significa que os cristãos são obrigados não apenas a fugir por causa do risco, mas também pela destruição de suas casas e meios de subsistência.

Oriente Médio e Norte da África

Tereze nasceu em um campo de refugiados após os pais, Thomas e Nariman, fugirem dos ataques do Estado Islâmico na Síria

Principais países: Irã e Síria

Top 3 agentes do deslocamento

  1. Pressão da comunidade (10 de 14 países monitorados pela Portas Abertas)
  2. Pressão da família (9 de 14 países monitorados pela Portas Abertas)
  3. Pressão do Estado (6 de 14 países monitorados pela Portas Abertas)

Cristãos que deixam países do Oriente Médio e Norte da África geralmente por razões relacionadas à fé são, na maioria das vezes, convertidos de contexto muçulmano. Nesse caso, comunidade e família representam as maiores ameaças.

Nessas comunidades, valores familiares fazem com que a conversão de um membro da maioria religiosa tenha um efeito ainda mais amplo, influenciando em questões como honra e vergonha da família. Assim, as reações relacionadas a convertidos podem ser duras. Há relatos de famílias no Irã e Iraque que ameaçam cristãos de origem muçulmana mesmo após eles deixarem o país de origem.

Cristãos que fogem como resultado de ações do Estado podem ser uma resposta direta a prisões, interrogatórios e detenção. A pressão indireta do Estado, seja por meio do medo ou da vigilância, também pode levar cristãos a fugirem.

Ásia

Amod (pseusdônimo), um cristão de origem muçulmana que fugiu de Mianmar, mostra versos sobre Jesus no Alcorão

Principais países: AfeganistãoMianmar e Paquistão

Top 3 agentes do deslocamento

  1. Pressão familiar (12 de 15 países monitorados pela Portas Abertas)
  2. Pressão da comunidade (9 de15 países monitorados pela Portas Abertas)
  3. Pressão do Estado (8 de 15 países monitorados pela Portas Abertas)

Por toda a Ásia, as principais fontes de pressão que levam cristãos a deixarem suas casas são: família e comunidade local, com a pressão mais alta sendo em cristãos de origem não cristã. Tal pressão é particularmente visível no Paquistão, onde minorias religiosas vivem sob a sombra das leis de apostasia e blasfêmia. A conversão ao cristianismo é inaceitável e uma ameaça à honra da unidade familiar.

Para evitar a ameaça de agressões, casamento forçado e mortes de honra, muitos convertidos são obrigados a fugir ou viver em lugares onde não sejam reconhecidos. Jovens garotas são visadas com o propósito de conversão forçada e casamento, o que tem levado muitas famílias a esconderem a fé. Isso acontece já que a comunidade aceita tais práticas e o Estado parece não agir.

A instabilidade política e o aumento de grupos extremistas religiosos alimenta o deslocamento na região, sendo o mais notável em Mianmar. Os grupos trabalham em conjunto com os três principais agentes do deslocamento de cristãos dentro e fora das fronteiras, o que resulta em números maiores do que em qualquer outro país da região.

América Latina

Refugiados indígenas recebem treinamento da Portas Abertas em uma casa-segura na Colômbia

Principais países: Colômbia e México

Top 3 agentes do deslocamento

  1. Grupos de crime organizado (5 de 7 países monitorados pela Portas Abertas)
  2. Pressões do Estado (5 de 7 países monitorados pela Portas Abertas)
  3. Grupos paramilitares e revolucionários (3 de 7 países monitorados pela Portas Abertas)

Cristãos na América Latina são principalmente afetados pela insegurança e criminalidade. Jovens rapazes escolhem fugir da região com medo de serem recrutados por gangues ou envolvidos em ciclos de violência. Já para mulheres e meninas o risco é serem tratadas como objetos de violência sexual.

Enquanto todos os membros da comunidade são afetados pela presença de gangues e atividades criminosas, cristãos eloquentes são alvo, principalmente pastores, caso suas motivações de fé os levem a falar contra a autoridade das gangues locais ou realizar evangelismo entre membros de gangues. Eles são alertados a fugir do país ou da região com a família, muitas vezes sob ameaça de morte.

Cristãos também fogem devido à constante ameaça de extorsão. Por exemplo, criminosos se aproximam de pastores se oferecendo para consertar as igrejas ou casas, mas muitos pastores recusam, sabendo que a oferta é apenas uma fachada para lavagem de dinheiro. Por recusarem, acabam se tornando alvos.

Fonte: Portas Abertas

line

Observações importantes ao comparecimento ao templo durante a ainda presente pandemia de COVID19:

  • Ao entrar no templo higienize suas mãos com álcool 70%;
  • Não desloque as cadeiras dos lugares pré-estabelecidos;
  • Não será excedido o limite máximo de ocupação de irmãos previamente estabelecido;
  • Não haverá boletim de papel, somente na versão digital.

line

Para baixar o Programa de Qualidade de Vida deste domingo ou dos domingos passados, clique aqui.

Texto (Alimento 1x3) - Pr. Paulo Pereira / Revisão: Mônica Pinheiro / Pesquisa e edição: Orlando Neto

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s