Perdoar e ser perdoado

O cristianismo jamais poderia sobreviver e até mesmo a vinda do Senhor Jesus não teria nenhum sentido se o Espírito do Perdão não pudesse funcionar no íntimo do ser humano.

Quando cultivamos um ressentimento contra alguém, permitimos que a semente do mal brote dentro de nós e, quanto mais tempo a deixarmos intacta, mais difícil é arrancá-la.

Não adianta procurar esquecê-la ou até mesmo afogá-la com boas obras de caridade, porque mais cedo ou mais tarde ela fará aparecer suas folhagens e, conseqüentemente, seus frutos nocivos.

A Bíblia nos ensina que Deus pode compreender nossas falhas, erros e fraquezas, mas não suporta quem se nega a praticar o perdão. Aliás, não perdoar é cometer injustiça consigo mesmo, pois todos cometemos erros. O coração perdoador sempre encontrará saída para se redimir diante de Deus e dos homens, mas o inflexível jamais será salvo.

Esta é uma das razões fundamentais pelas quais afirmo que o perdão, mais que uma simples virtude, é uma grande necessidade.

A Bíblia está repleta de passagens onde Deus mostra seu caráter diante das falhas e pecados humanos. O Senhor Jesus, durante todo o Seu ministério, deu exemplos de como devemos nos portar uns para com os outros, todos os milagres apontam Sua compaixão com os pecadores. Da mesma forma pela qual Ele se manifestou para os homens, também requer de cada um de nós a mesma atitude para com os nossos semelhantes.

Amai-vos!

Por Pr. José Eduardo Garcia – faladudu@msn.com